Robôs e traders também erram, e devem aprender a parar quando percebem isso

Um screenshot relevante que mostra que o robô estava em uma boa posição, em cenário de baixa, até que uma notícia forte entra e muda tudo. Hora de parar e avaliar o momento, o que foi feito acionando a perda máxima. Uma boa lição, não apenas para robôs, como para traders.

win-n-m5-terra-investimentos-dtvm-9

Nos robôs da Trajecta essa avaliação é feita em diversas dimensões, mas talvez a mais relevante seja a de perda máxima, calculada em três momentos, que aparecem na imagem: por hora, por dia (24 horas, para ser mais preciso, o que é muito relevante, principalmente no mercado FX) e semanal (24×7, pela mesma lógica anterior).

É importante perceber que essa lógica não se aplica apenas a um trade, mas a todo um sistema operacional, pois em outra dimensão, temos toda uma análise da curva de capital, onde traders e máquinas podem competir ou trabalhar de forma cooperativa (sem dúvida a melhor opção) para identificar quando um determinado setup deve parar ou ser substituído.

Se você for mais longe, verá que isso se aplica a vários processos de nossa vida, senão a todos, pois errar e acertar fazem parte da evolução, de máquinas e pessoas, e sofre menos, provavelmente, quem aprende antes isso.

___
Por Rogério Figurelli em 21/06/2019